Tel: (11) 4122-3733
rkdiagnostico@rkdiagnostico.com.br

Diabetes Mellitus

Os alimentos consumidos são convertidos no nosso organismo em açúcares, fonte de energia para o corpo. Esses açucares são transportados no sangue como glicose. Um hormônio chamado insulina, produzido pelas células B do pâncreas é fundamental para que essa energia chegue até os tecidos e órgãos.

A diminuição na produção de insulina pelo pâncreas ou fatores que dificultam a ação desse hormônio no organismo pode levar ao Diabetes Mellitus (DM). Essa doença acomete tanto humanos como cães e gatos. É caracterizada por aumento da glicose no sangue (hiperglicemia) e glicosúria (presença de glicose na urina) persistentes.

O Diabetes Mellitus nos cães e gatos pode ser classificado segunda a sua etiologia, por produção insuficiente ou não produção de insulina pelo pâncreas ou por resistência dos tecidos a sua ação.

Excesso de peso, alimentação inadequada, predisposição genética e outras doenças endócrinas associadas são alguns fatores que predispõem a doença. As manifestações clínicas mais comuns são: ingestão excessiva de água, aumento na frequência e no volume da urina, apetite exagerado e perda de peso. Como complicações podem ocorrer desidratação, fraqueza, letargia, perda de apetite, vômitos, diarréia, hálito cetônico e o quadro mais complicado da doença – a cetoacidose diabética, que pode levar a morte.

No cão e no gato, os pacientes portadores de Diabetes Mellitus são insulino-dependentes, portanto vão precisar de aplicações diárias de insulina. Além disso, todo o cuidado com uma alimentação apropriada.

A recuperação do nosso melhor amigo vai depender principalmente da adesão do seu dono ao tratamento. Para cada pet, deve-se considerar alguns fatores individuais como idade e se há outras doenças concomitantes que, também precisam de avaliação e tratamento.

Com cuidado e dedicação do tutor, consultas periódicas e o trabalho em equipe com o médico veterinário, muitos cães e gatos portadores de DM podem levar uma vida saudável por vários anos.

Uma alimentação adequada para cada fase de vida, exercícios regulares e avaliações médicas periódicas realizados pelo médico veterinário são importantes na prevenção da doença.

Deixe um Comentário